Filho tem “cabeça arrancada” na frente do pai e bandidos fogem levando a cabeça na mochila

0 1.413

José Claudeson de Souza Silva, 25 anos, teve a cabeça arrancada ‘na faca’ por três bandidos, ainda não identificados, na frente do pai durante o trabalho, no início da tarde desta quinta-feira (05), numa construção do bairro Vila Alta, em Tangará da Serra, (239 km da Capital).

 

Os criminosos ainda colocaram a cabeça da vítima numa mochila e ‘levaram embora’.

 

A Polícia Militar (PM) foi acionada para atender à ocorrência e quando chegaram no local encontraram o corpo ‘sem cabeça’ dentro de um cômodo da obra e o pai da vítima em estado de choque.

 

Os militares comunicaram o fato à Delegacia de Polícia Civil e Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), responsáveis pelos procedimentos no andamento da ocorrência.

 

O pai da vítima relatou que ele e o filho estavam trabalhando na reforma daquele imóvel, porém, no início da tarde chegou os três criminosos e prendeu os dois em um dos cômodos.

 

Em seguida, um deles deu uma facada no pescoço de Claudeson, que caiu gravemente ferido. Os bandidos ainda pediram que o pai da vítima virasse de costas, pois, eles iriam ‘arrancar’ a cabeça do rapaz, o que foi feito.

 

BANNERCAMAROTE

Em seguida, os três colocaram a cabeça numa mochila e fugiram.

 

Diante das informações e relatos sobre as características físicas dos bandidos, a PM saiu em buscas pelo paradeiro dos assassinos, mas até a publicação desta reportagem não tinham sido localizados.

 

Os peritos analisaram as condições em que o corpo foi encontrado e ainda periciaram a cena do crime para coletar evidências que determinem as circunstâncias do homicídio e ajuda a identificar os assassinos.

 

Os investigadores do Núcleo de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Delegacia de Polícia Civil assumiram a ocorrência e acompanharam os trabalhos da Politec.

 

Ainda não há informações oficiais sobre a motivação do crime, no entanto, há informação de que José Claudeson cumpriu pena em regime fechado por cinco anos devido a um crime de homicídio. Foi solto em maio deste ano e desde então estava trabalhando com o pai.

 

Via Repórter MT