Fiscalização contra empresa de ônibus em Rondônia pode render processo ao Governador

0 134

Uma ação de fiscais da Agência de Regulação de Serviços Públicos Delegados do Estado de Rondônia (Agero) contra a empresa TransBrasil, que opera com linhas federais para várias parte do País, poderá render contra o governador de Rondônia uma ação de improbidade administrativa.

 

Segundo diretor-presidente da empresa de ônibus, Irandir Oliveira,  há mais de uma semana fiscais da AGERO, cuja competência cabe fiscalizar apenas linhas de ônibus intermunicipais em Rondônia, extrapola sua atribuição: “De forma arrogante e arbitrária, fiscais tentam entrar no ônibus de linha federal. Como são impedidos por não terem essa competência, chamam a Polícia Militar que obriga o motorista seguir com o ônibus cheio de passageiros para a delegacia de Polícia Civil para lavrar a ocorrência”, revela Irandir. Farto assim aconteceu nesta sesta-feira na Rodoviária de Ariquemes. Irandir afirma que a motorista sofre “terrorismo psicológico e impede que a empresa cumpra o itinerário dentro dos horários estabelecidos pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Um paradoxo ocorre, argumenta Irandir: – “Fiscais da AGERO acabam cometendo abuso de autoridade e acabam levando à Polícia Militar ao erro para cobrir um chamado cujo teor da ocorrência é arbitrário e ilegal.

 

BANNERCAMAROTE

Irandir Oliveira disse que a fiscalização está sendo sistemática, pois, o mesmo ônibus é fiscalizado pela AGERO em Porto Velho, Ariquemes, Ji-Paraná, Cacoal e Vilhena, ou seja, na rodoviária em que o ônibus parar para pegar passageiro que vai viajar para fora de Rondônia, os fiscais criam caso.

 

O comportamento da AGERO será encaminhado na próxima segunda-feira para o presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia Alex Redano, em forma de pedido para abertura de procedimento investigatório contra o governador de Rondônia Marcos Rocha. Esse procedimento poderá resultar num processo de improbidade administrativa contra o governador.

Veja o vídeo:

Fonte:folha de Rondônia News