Morre no Líbano ‘seo’ Riad, o Ji-Paranaense de coração

0 806

Na década de 1980 se mudou para Rondônia e foi em Ji-Paraná que ganhou fama montando um dos melhores restaurantes de comida árabe.

Morre aos 87 anos de idade, na madrugada de hoje, no Líbano, o ji-paranaense de coração Riad Toufic el Hanach, o ‘seo’ Riad, que durante três décadas esteve à frente de um dos restaurantes de comida árabe mais famosos de Rondônia, o Riad Restaurante. O site não teve acesso à informação sobre a causa da morte. Riad estava com Alzheimer em estágio avançado da doença. No dia 17 de janeiro deste ano, com o fim do agravamento da pandemia, Riad foi levado de Ji-Paraná para São Paulo. Valdeira Menezes, a Val, que durante muitos anos foi a chefe de cozinha do Riad, deixou o amigo na capital paulista com um enfermeiro que o acompanhou na viagem de São Paulo a Tripoli cidade na qual Riad passou a morar com uma irmã.

Filho de pai brasileiro nascido no Pará, Riad chegou ao Brasil pela primeira vez em 1966. Foi na cidade de Umuarama, no Paraná, que se tornou mascate. No fim da década de 1960 se mudou para São Paulo e passou a trabalhar em restaurante de comida árabe.

Na década de 1980 se mudou para Rondônia e foi em Ji-Paraná que ganhou fama montando um dos melhores restaurantes de comida árabe.

De comportamento sistemático e de tolerância quase zero, Riad despertava por isso um humor reservado a poucos.

Em uma de suas viagens ao Líbano, há quase 20 anos, Riad contou que passou por várias barreiras em período de conflito na Faixa de Gaza, voltou ileso, sã e salvo, mas, ao caminhar por uma calçada de Ji-Paraná quebrou o pé. A ironia dita por ele, é que enfrentou situações de perigo e foi quebrar o pé em Ji-Paraná, quando o prefeito era o Leonir Nico Rodrigues, ao dizer, com bom humor, que Nico teria bombardeado a cidade.

Há seis anos, assim que vendeu o restaurante, Riad foi para o Líbano, mas, acabou voltando para Ji-Paraná. Val, sua ex-chefe de cozinha, passou a cuidar do amigo.

Durante a Pandemia o Alzheimer provocou ainda mais a perda de memória, foi aí que Riad acabou sendo levado para junto da família no Líbano.