Mulher que agenciava netas para prostituição em Machadinho é presa no Amazonas

Após um intenso trabalho de investigação, agentes da Delegacia de Polícia Civil de Machadinho do Oeste, localizaram e prenderam a foragida Maria R. D. O, de 47 anos, acusada agenciar para prostituição as próprias netas, de 10 e 13 anos, naquela cidade. As vítimas eram obrigadas a manter relações sexuais com homens mais velhos.

Conforme apurado pelo site, a criminosa não foi localizada durante a Operação Devadasi, deflagrada na última sexta-feira (24) e era considerada foragida.

Após a operação, os policiais não cessaram as investigações, e descobriram que a criminosa estava escondida em um acampamento, localizado em uma região de mata, na beira do rio, no município de Novo Aripuanã, interior do estado do Amazonas.

Para chegar no local, os investigadores tiveram trabalho. Parte do percurso foi feito de viatura, e já chegando na região, mais 10 km de mata a dentro, andando a pé, com um único objetivo: fazer justiça e colocar na cadeia uma criminosa.

Ao avistar os policiais chegando no acampamento, nesta segunda-feira, a criminosa não teve chance de fugir e foi presa.

Abusos

Conforme apurado pelo jornal, Maria R. era proprietária de um bar, que fica na frente de sua residência. Era no estabelecimento comercial que a criminosa usava suas duas netas para chamar atenção de homens.

Um dos clientes era o proprietário de uma madeireira da região, bastante conhecido, que abusava sexualmente das crianças, mesmo sabendo que as vítimas eram menores de idade.

A Polícia apurou que esse empresário, parava o carro em frente ao bar, buzinava, e uma das crianças era obrigada, mesmo chorando, ir até o encontro desse homem. As duas foram abusadas por ele.

A criminosa cobrava, dependendo do “cliente”, de R$ 60 a R$ 150, pelos abusos praticados contra as duas netas. Ela tirava seu sustendo com o dinheiro cobrado pelos crimes praticados contra suas próprias netas.

Clique aqui e entre em nosso grupo do whatsapp

Os abusos aconteciam em vários lugares, na própria casa de Maria R., onde os vizinhos ouviam os gritos e choros das crianças, no bar, ou nos lugares que os abusadores levaram as vítimas.

Com o avanço das investigações, os policiais conseguiram identificar alguns dos criminosos que abusaram das vítimas, com o consentimento da criminosa Maria Raimunda.

Pelo menos 7 dos abusadores foram colocados atrás das grades, juntamente com a criminosa Maria Raimunda.

As duas crianças, vítimas dos abusos, foram levadas para a casa de familiares, que serão acompanhadas pelos órgãos competentes.

Maria Raimunda é ex-moradora de Ouro Preto do Oeste, cidade vizinha a Ji-Paraná.