Adolescente coloca fogo no próprio corpo após perseguição na internet

Lara Helloysa, que tinha apenas 16 anos e se identificava como lésbica, era estudante do ensino médio no Colégio Estadual Villa Lobos, em Aparecida de Goiânia. Segundo relatos, Lara vinha sofrendo há algum tempo, na internet e dentro da escola, com a intolerância e o preconceito por conta de sua orientação sexual.

De acordo com informações divulgadas pela família da adolescente, Lara sofria com comentários preconceituosos na escola em que estudava por ter assumido um relacionamento com outra estudante. Como parte de sua expressão de identidade, havia cortado os cabelos e mudado seu visual, tornando-se alvo constante de ataques e comentários maldosos de outros alunos.

Clique aqui e entre em nosso grupo do whatsapp

Além disso, a jovem enfrentava o tormento de uma página de fofoca no Instagram, que divulgava boatos e informações falsas sobre Lara e sua ex-namorada, contribuindo para seu sofrimento e desespero.

Na manhã da última sexta-feira (17), Lara decidiu colocar um fim em seu sofrimento e ateou fogo em si mesma. Foi socorrida por populares, que acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), que prestou o primeiro atendimento e a encaminhou para a UPA Buriti Sereno.