Deputados propõem projeto de lei com o nome de Larissa Manoela

Brasil – A entrevista bombástica concedida pela renomada atriz e cantora Larissa Manoela ao programa Fantástico, da TV Globo, neste último domingo (20), abalou o Brasil e levou a discussão sobre os direitos dos menores de idade à frente do debate público. Durante a entrevista, Manoela revelou que, mesmo após atingir a maioridade, seus pais mantiveram controle sobre seus bens e finanças, levantando questões sobre a gestão patrimonial de menores de idade.

A repercussão desse episódio foi tão significativa que dois deputados federais, Pedro Campos (PSB-PE) e Duarte Jr. (PSB-MA), decidiram agir propondo um projeto de lei denominado “Lei Larissa Manoela”. Segundo os deputados, a proposta visa proteger os direitos e o patrimônio dos menores de idade, impedindo a apropriação indevida por parte dos pais ou responsáveis.

Os Principais Pontos da “Lei Larissa Manoela”

O projeto de lei apresentado pelos deputados Campos e Duarte Jr. visa aprimorar a proteção dos bens dos menores de idade. Eis alguns de seus principais pontos:

  1. Avaliação da Participação dos Menores em Contratos: A proposta prevê que o Ministério Público avalie a participação de menores de idade em contratos firmados pelos pais em seu nome, assegurando a proteção dos direitos e interesses dos menores.
  2. Cláusula de Revisão Obrigatória: Contratos firmados enquanto o menor ainda é menor de idade deverão conter uma cláusula de revisão obrigatória. Isso permitirá que os adolescentes renegociem contratos ou suspendam negócios após completarem 18 anos.
  3. Prestação de Contas: A “Lei Larissa Manoela” permite que os filhos menores de idade exijam prestação de contas dos pais em relação aos bens que eles estejam administrando. Isso promove transparência e responsabilidade na gestão patrimonial.

Outras Propostas Relacionadas

Além do projeto “Lei Larissa Manoela”, outros deputados também apresentaram propostas relacionadas à proteção de bens de menores de idade:

Clique aqui e entre em nosso grupo do whatsapp

  • A deputada federal Syvie Alves (União Brasil-GO) propôs a inclusão do crime de violência patrimonial contra a criança e o adolescente no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Isso poderia resultar em detenção, multa e bloqueio de bens aos responsáveis.
  • O deputado federal Marcelo Queiroz (PP-RJ) propôs a regulamentação da gestão do patrimônio de menores de idade que exerçam atividade artística. Isso inclui a criação do cargo de “gestor patrimonial” do menor, encarregado de prestar contas de gastos, ganhos e investimentos.
  • O deputado federal Ricardo Ayres (Republicanos-TO) apresentou um projeto que limita a administração de bens dos filhos pelos pais a 30%. Além disso, proíbe que os menores sejam obrigados a contribuir financeiramente para projetos pessoais dos responsáveis legais e oferece orientação empresarial, jurídica e contábil independente.

Críticas e Reflexões

Contudo, alguns críticos argumentam que o projeto “Lei Larissa Manoela” pode abrir portas para uma maior intervenção do estado nas questões familiares. Eles enfatizam que a abordagem judicial, sem interferência estatal, poderia ser uma alternativa mais ideal para resolver essas questões.

Independentemente das opiniões divergentes, o caso de Larissa Manoela trouxe à tona um debate fundamental sobre os direitos dos menores de idade em relação aos seus bens e patrimônio. O projeto de lei representa uma tentativa de garantir que os direitos e interesses desses jovens sejam protegidos de maneira adequada, enquanto o país observa atentamente o desenvolvimento desse debate no cenário político e legislativo brasileiro.