ACABOU A FARSA: Depois de simular latrocínio, caminhoneiro confessa que matou a esposa diante da filha bebê

Encurralado e sem álibi convincente para livrá-lo do flagrante, assassino assumiu o feminicídio.

Durou pouco a farsa montada pelo caminhoneiro Elvis Guebarra Fernandes, que chegou a registrar queixa na polícia da cidade de Juína (MT), a 240 km de Vilhena, denunciando que a esposa, Joicemara Baltazar de Moraes, de 27 anos, havia sido assassinado por um ladrão, quando ela tentou impedir o roubo de sua moto.

O site, que acompanha o caso desde as primeiras horas, revelou que os policiais envolvidos na ocorrência não encontraram vestígios que confirmassem a versão do marido, que alegava latrocínio. Além disso, familiares da vítima também colocaram em dúvida as informações que o assassino havia prestado após o crime.

Encurralado e sem álibi convincente para livrá-lo do flagrante, no fim da manhã de hoje, o homem acabou confessando que atirou em sua esposa, e jogou a arma do crime, um revólver calibre 32, no quintal do prédio do Sesi/Senai, que fica perto de sua casa.

Antes do crime, o casal consumiu bebidas alcoólicas junto com o irmão (de Elvis) e a esposa dele na casa. Depois de ficarem sozinhos no imóvel marido e mulher tiveram uma discussão sobre q relação, momento em eu Elvis se apossou da arma e atirou em Joice em frente a filha, que não tem 01 ano de vida.

Clique aqui e entre em nosso grupo do whatsapp

Outro ponto que chamou a atenção da polícia é que, ao invés de levar a vítima para a UPA 24 horas, local de urgência e emergência, quem a socorreu encaminhou a mulher para um hospital particular (São Lucas), mas lá foi constatado o óbito dela.

Policiais Civis realizaram diligências na madrugada em busca de elementos para esclarecer a dinâmica do feminicídio, que agora teve um desfecho surpreendente.

O flagrante foi lavrado pelo delegado titular da Polícia Civil em Juína, Ronaldo Binoti Filho. Preso em flagrante, Elvis Guebarra Fernandes, será indiciado por crime de feminicídio e posse ilegal de arma de fogo permitido, e após os procedimentos na delegacia será encaminhado ao CDP.

Fonte: Juína News