CAOS AÉREO: No fim de ano, Rondônia tem poucos voos, caros e demorados

Protesto na internet ganha força com vídeo de reunião entre autoridades e representantes de empresas que falaram que “acabou a torneira aberta em Rondônia”

Após uma enxurrada de ações no poder Judiciário, as companhias aéreas presentes em Rondônia (Azul, Gol e Latam) retiraram diversos voos desde junho alegando uma suposta indústria dos “vouchers”.

Por conta disso, os prejudicados são os consumidores, especialmente aqueles que desejam passar Natal, Ano Novo e férias fora do estado: no período há poucos voos/assentos disponíveis, mas com preços nas alturas e demorados, com incontáveis escalas em aeroportos do país inteiro.

 

Diante disso, um protesto na internet ganha força junto com um vídeo de uma reunião com representantes da Gol e Azul em reunião no Ministério Público Estadual.

“Nós já vínhamos avaliando uma mudança. No Judiciário, acabou a nossa torneira aberta aqui em Rondônia”, disse uma advogada da Gol logo no começo da gravação.

O deputado delegado Lucas Torres (PP) completou: “Ele disse: bem, nós estamos diminuindo. Pode ser que nós voltemos se as ações [judiciais] diminuírem. Podemos voltar e podemos até ampliar. Mas condicionando às ações caírem”, sobre uma colocação do representante da Azul durante uma audiência pública na Assembleia Legislativa de Rondônia.

Uma mulher não identificada afirma: “Então houve uma mudança no entendimento da análise do conjunto probatório das defesas das empresas para aí julgar a ação procedente, improcedente ou parcialmente procedente”.

Camilo Coelho, que é diretor da Azul Linhas Aéreas, explicou: “Mas como já foi colocado: na medida que a gente vê, a gente começa a ver. Eu já disse na Assembleia [Legislativa] e digo novamente: a gente já começa a ver uma evolução. Em havendo essa evolução, nós vamos retomar as ligações que a gente já tinha. A gente vai retomar a oferta em Cacoal, vai retomar a oferta em Ji-Paraná, vai retomar a oferta em Vilhena. Deve retomar a oferta em Porto Velho para Manaus”.

Mais uma vez, a mulher que não é possível ver o nome protesta: “Estamos há um ano e meio com o Judiciário sentado, relatando esse problema. Não é a primeira vez que sentamos pra tentar uma solução. Então não é uma primeira conversa. Por isso, até que nos surpreende, assim que estamos com o Judiciário, com o doutor Johnny, em especial, há mais de um ano e meio, falando sobre esse problema e avisando que isso poderia levar a uma redução de voos. Então, isso não é uma surpresa ao Judiciário. Isso não é uma fala de agora. Isso precisa ser dito!”.

Campanha

O texto da mobilização da internet ainda reforça “Imagine se a moda pega!? Estamos diante de uma campanha de desjudicialização*, da qual Rondônia é o estado “cobaia”?”.

E finaliza: “*articulação em prol de ‘grandes litigantes’ (empresas que lesam milhares de consumidores) para evitar que os cidadãos busquem os seus direitos na Justiça. Precisamos gritar socorro e deixar claro que não somos palhaços! Compartilhe para atingir toda a população e chegar às autoridades que estão omissas”.

Fonte: rondoniaovivo