Fazendeiro que teria mandado matar esposa passsa mal e não comparece no julgamento

O fazendeiro Gilberto Luiz de Rezende não compareceu à sessão do Tribunal do Júri que estava agendada para a última terça-feira (5), quando ele seria julgado por supostamente mandar matar a ex-esposa e um homem, motivado por ciúmes. Gilberto está preso, mas passou mal e teve de ter internado.

A audiência foi reagendada para quinta-feira (7), quando está previsto para ser realizado o júri na 1ª Vara Criminal de Rondonópolis. O julgamento tem início às 8h.

Gilberto chegou a ser condenado em 2016 como mandante dos assassinatos da ex-esposa, Marciana Siqueira da Silva, e de Ewandro Carlos Satelis. O crime foi cometido em 28 de agosto de 1997 e corre o risco de prescrever.

Contudo, o Tribunal de Justiça anulou o primeiro julgamento e determinou que a 1ª Vara Criminal de Rondonópolis o julgasse novamente.

O novo júri foi reagendado diversas vezes, com a primeira data marcada para 16 de outubro passado. Na ocasião, a defesa apresentou atestado médico para remarcar o julgamento.

Clique aqui e entre em nosso grupo do whatsapp

De acordo com a denúncia do Ministério Público Estadual, os homicídios foram cometidos no dia 28 de agosto de 1997, por volta das 10h20 da manhã. As vítimas estavam no interior de um veículo Pálio quando oram atingidas por disparos de armas de fogo efetuados por Adeir de Sousa Guedes Filho, o qual, segundo o MPE, foi contratado por Gilberto Luiz de Rezende para execução dos homicídios em razão de ciúmes.

Adeir de Sousa Guedes Filho, conforme o MPE, tinha envolvimento com o grupo de criminosos conhecidos como “A Firma”. Ele já foi julgado e condenado pelo duplo homicídio.