João Carreiro ficou dois anos afastado dos palcos para tratar depressão e transtorno que o fazia ver tragédias

 

De 2013 a 2015, João Carreiro – que morreu, nessa quarta-feira (3), em Campo Grande, – ficou afastado dos palcos para tratar uma depressão e um quadro grave de Transtorno Obsessivo-compulsivo (TOC). Após o tratamento, o sertanejo não hesitou em falar da doença e como fez para superá-la. Veja o vídeo abaixo.

Em uma entrevista ao “Encontro”, ainda com Fátima Bernardes no comando do programa diário da Globo, João Carreiro lembrou que recebeu o diagnóstico ainda em setembro de 2012, no auge da carreira, junto com Capataz.

Clique aqui e entre em nosso grupo do whatsapp

“Tive depressão e TOC. Na época eu fiquei muito mal, a dupla estava no melhor momento da carreira, ninguém entendeu aquilo. Não entenderam o porquê de eu parar. Quando fui me consultar com o psiquiatra, ele pediu para eu parar naquele dia. Era setembro, eu tinha agenda até dezembro. Eu precisava cumprir os compromissos, terminei aquele ano, mas foi muito difícil”, lembrou o sertanejo.

A depressão era grave, como o cantor ponderou em vida. Sobre o TOC, Carreiro tinha um quadro específico. O sertanejo tinha alucinações e repetições de fragmentos do que vivia.

You cannot copy content of this page