Oito integrantes de quadrilha especializada em golpes cibernéticos são presos em operação

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Estelionato e Outras Fraudes de Cuiabá, deflagrou na manhã desta quinta-feira (4) a Operação Scam Office para cumprimento de 10 ordens judiciais, entre mandados de busca e apreensão domiciliar e autorização de acesso a dispositivos informáticos, contra uma associação criminosa envolvida em golpes na capital e região metropolitana. Oito investigados foram presos até o momento.

Durante a investigação conduzida pela Delegacia de Estelionato, foram identificadas cinco pessoas suspeitas de integrarem a associação criminosa, aplicando golpes (fraudes eletrônicas) contra vítimas de Mato Grosso e de outros estados do país.

O escritório de golpes da associação criminosa estava instalado em um condomínio de apartamentos, em Várzea Grande.

 

As investigações apontaram que com o proveito dos golpes de estelionato eletrônico, os investigados adquiriram bens de alto valor agregado, como veículos de luxo, imóveis e joias, além de ostentar o patrimônio adquirido com os crimes em redes sociais.

A operação contou com a participação de todo o efetivo da Delegacia Especializada de Estelionatos da Capital. Durante a ação, a equipe policial apreendeu veículos e o jet ski utilizados pelos investigados e adquiridos com o dinheiro do crime.

Segundo o delegado responsável pelas investigações, Marcelo Torhacs, a operação faz parte do programa de combate às associações criminosas especializadas em golpes cibernéticos, da Delegacia Especializada de Estelionatos.

“Os trabalhos desenvolvidos têm como foco o combate ao estelionato eletrônico, mais especificamente aos ‘escritórios de crimes’, à semelhança a ação deflagrada na Operação ‘Novo Milênio’, no final de Dezembro de 2023, onde quatro indivíduos foram presos e o escritório desarticulado, com sequestro de vários veículos e bens de valor”, disse o delegado.

A investigação continuará nos próximos dias, com a análise dos dispositivos apreendidos, bem como outras diligências necessárias para apuração dos fatos.

Nome da operação

“Scam Office” refere-se a essa modalidade de atuação na qual a associação criminosa adquire ou aluga um imóvel para a prática dos crimes virtuais, cujo imóvel funciona como “escritório de crimes”.

FONTE: MIDIAJUR