Entrevista com Isaú Fonseca tremeu os Studios da Plan FM nesta sexta-feira (17), em Ji-Paraná

Na manhã desta sexta-feira (17), mais um episódio da série “DÁ PRA FAZER SIM”, Isaú Fonseca rebolou nas mãos dos repórteres da Plan FM durante entrevista concedida a Júnior de Matos, Euclides Maciel e Licomédio Pereira.

Várias perguntas colocaram o prefeito Isaú Fonseca contra a parede, uma delas feita pelo repórter Euclides Maciel e Júnior de Matos sobre as telhas compradas em 2021, no valor de 4 milhões, valor investigado com suspeita de superfaturamento.

Ainda foi questionado sobre o secretário nomeado pelo prefeito que vendeu as tais telhas e foi nomeado com um salário de “nove mil e cem reais”, chamado pelos repórteres como prêmio a portaria pela “mega venda das telhas”.

Euclides perguntou e Isaú respondeu que as telhas seriam para melhorar o conforto nas escolas municipais, mas até hoje não foram instaladas em sua totalidade, e a “culpa” segundo Isaú foi seus dois afastamentos para investigações de corrupções na administração dele, esquecendo que o mandato dele é de quatro anos e não de cinco meses, e sempre “pregou” nas redes sociais que fazer obras em Ji-Paraná é uma “casa de facilidades”.

Isaú o tempo todo disse que é inocente das acusações feitas, disse que vai provar que é inocente de todas as acusações, o processo corre na justiça, “os repórteres sugeriram que a Polícia Civil e MP peça desculpas a Isaú que está sendo injustiçado”, “contém ironia”.

Isaú foi afastado duas vezes durante operações da Polícia Civil para ser investigado, não só ele, mas um vereador e o filho dele, também vereador presidente da CMPJ.

Licomédio perguntou ao Prefeito Isaú como ele deixou de ser “pobre” tão rápido, andava de carro emprestado, e logo comprou casa de alto padrão e carrão. Vale ressaltar que nas eleições, Isaú declarou ao TRE não ter nem um bem; mais surpreendente é que a bancada de advogados que faz a defesa dele, é uma das melhores do Brasil, exclamou o repórter Júnior de Matos, “isso não pode ser de graça”. Isaú disse que tem um amigo advogado que o ajudou.

O repórter Júnior de Matos esculachou quando disse que o prefeito sempre fala nas reportagens que não faltam medicamentos, e ele rebateu fortemente que quando teve COVID ficou internado no HM e só não morreu porque comprou medicação para não morrer, Licomédio disse que ontem (16), não tinha remédio para vômito e benzetacil, remédios básicos.

Licomédio sem perdão falou da coleta deficiente de lixos e dos ônibus sucateados colocados para o transporte escolar.

A entrevista continuou com questionamentos do Tchau Poeira e Poeira 0 que não chegou na metade do prometido, e Isaú “vendeu mais sonhos” prometendo mais 100km de asfalto.

E finalizou com “mentiroso de cá mentiroso de lá”, trocas de farpas só não saiu porrada porque o enfrentamento foi constante, quem via e ouvia pelas redes sociais, suavam frio e tinha até apostas de 20 reais para quem ganhasse na entrevista. Teve um Record de 350 pessoas on-line prestigiando a bagaceira.