Direito de resposta: Profissionais do sexo contam versão do episódio ocorrido em Ji-Paraná com empresário rico

Fez contato com a nossa redação, as duas profissionais do sexo que atenderam o empresário endinheirado do Camaro.

Elas pediram para contar a versão delas do acontecido durante a madrugada de segunda-feira (27), frente a uma boate da cidade. Onde houveram agressões, puxões de cabelo, uma baita confusão.

Versão delas:

Na versão das meninas, elas foram contratadas pelo empresário para uma hora de prazer, ele fez contato e buscou as meninas em um restaurante de luxo da cidade, levando-as para um motel na saída de Ji-Paraná para Presidente Médici.

Segundo elas, chegaram no motel, para ocorrer o programa, mas o empresário não conseguiu ter ereção “vulgo broxada”, elas teriam tentado de todas as formas fazer o “defunto” ressuscitar e nada deu resultado.

Com isso o empresário teria ficado nervoso e a confusão começou no motel, onde ele teria dito que não ia pagá-las porque não conseguiu ter o ato sexual.

Elas disseram que teria que pagar que era problema dele não ter tido ereção e acabou passando mais de uma hora e nada de pagar.

Clique aqui e entre em nosso grupo do whatsapp

O programa custava 400,00 reais e como eram duas meninas 800,00, e passou de uma o preço dobra. A situação ficou ainda pior. Tiveram que deixar o motel devido a confusão, e o empresário as levou até a casa onde as profissionais moram. Chegando em frente ao local, uma das garotas, a loira, tentou retirar a chave do carro, quando foi puxada pelos cabelos e jogada na rua, ela levantou e deu alguns socos no empresário.

Enfim rolaram as duas e o empresário na pancada as 00 horas. Tudo foi flagrado por câmeras de monitoramento. As meninas disseram que em momento nenhum extorquir o empresário, apenas queriam receber as horas trabalhadas, e que a “comida” estava lá, não comeu porque não quis ou deu conta.

Ilustrativa