R$10 MIL: Governo anuncia recompensa por informações sobre suspeito de matar PM

O Governo de MT anunciou, na última segunda (3), uma recompensa para quem tiver informações que levem à captura de Rafael Amorim de Brito.

Recompensa será paga via PIX e está regulamentado na Lei Estadual 11.078. Rafael Amorim de Brito, suspeito de matar a tiros o policial militar Odenil Alves Pedroso, Polícia Militar de Mato Grosso.

O Governo de Mato Grosso anunciou, na segunda-feira (3), uma recompensa de R$ 10 mil para quem tiver informações que levem à captura de Rafael Amorim de Brito, suspeito de matar a tiros o policial militar Odenil Alves Pedroso, de 46 anos, no final de maio.

 

Segundo o anúncio, o valor oferecido será pago via PIX e diz respeito a Lei Estadual 11.078, aprovada pela Assembleia Legislativa em 2020. As informações úteis e concretas sobre a localização do suspeito, devem ser informadas pelo disque-denúncia da Polícia Militar 0800-0653939.

Nesta terça-feira (4), as buscas pelo suspeito completam oito dias e mais de 300 policiais de Mato Grosso continuam à procura do suspeito. Segundo a Polícia Militar, o suspeito já tem mandados de prisão em aberto por roubo e extorsão mediante sequestro.

A polícia identificou Rafael como executor após analisar imagens de câmera de monitoramento no dia seguinte ao crime, além de encontrar a moto, o capacete, uma jaqueta e as botas que teriam sido usadas no momento do crime.

Clique aqui e entre em nosso grupo do whatsapp

Confira o caso

Câmeras registram momento em que suspeito atira contra policial.

Na terça-feira (28), o policial Odenil foi baleado na região da cabeça, segundo a Polícia Militar de Mato Grosso (PMMT). De acordo com moradores do bairro onde o crime ocorreu, o agente estava em uma lanchonete quando foi atingido.

Câmeras de segurança próximas ao local registraram o momento do crime. No vídeo, é possível ver que o suspeito chega na unidade de saúde e se aproxima da vítima, já atirando.

Segundo o irmão da vítima, Odenil tinha sido promovido a 1º sargento há apenas dois meses e planejava se aposentar daqui a 5 anos.

Ainda de acordo com a prefeitura, o secretário adjunto de Apoio à Segurança Pública, Mohamed Rachid Mohamed Hassoun, foi até o local para averiguar a ocorrência. O policial foi encaminhado ao Hospital Municipal de Cuiabá, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na mesa de cirurgia.