Delegacia de Polícia Civil de Ji-Paraná Pede Ajuda para Identificação de Autores de Crime Contra Travesti

Ji-Paraná (20) — Em um esforço conjunto para combater a homofobia e proteger as minorias, a Delegacia de Polícia Civil especializada em homicídios de Ji-Paraná está solicitando o apoio da população na identificação dos autores de um crime brutal. A vítima, uma travesti, foi encontrada morta no Anel Viário, no Residencial Barcelona, próximo à Universidade de Ji-Paraná.

Este crime, que pode ter sido motivado por preconceito e ódio, ressalta a necessidade urgente de um posicionamento firme contra a violência dirigida à comunidade LGBTQIA+. A Delegacia de Homicídios está empenhada em garantir que crimes de natureza homofóbica não fiquem impunes, e a participação da comunidade é crucial nesse processo.

De acordo com as investigações, a travesti estava realizando programas e teria saído para atender um cliente durante o período noturno. Nesse encontro, o cliente, ainda não identificado, teria cometido o homicídio e abandonado o corpo no local mencionado.

A polícia está trabalhando intensamente para solucionar o caso, mas enfrenta dificuldades na identificação dos suspeitos e na obtenção de informações cruciais. Portanto, o apoio da comunidade é essencial para o andamento das investigações e para que os responsáveis sejam levados à justiça.

Clique aqui e entre em nosso grupo do whatsapp

A Delegacia de Polícia Civil pede que qualquer pessoa que tenha informações sobre o caso ou que possa ter visto algo suspeito na região do Anel Viário, no Residencial Barcelona, durante o período noturno, entre em contato. Informações podem ser repassadas anonimamente através do telefone 197 ou diretamente na delegacia.

A colaboração da população é vital para garantir a segurança de todos e assegurar que a justiça seja feita. A Delegacia de Polícia Civil reitera seu compromisso com a investigação e a elucidação desse crime, buscando trazer conforto e justiça para a família e amigos da vítima, além de fortalecer a proteção e o respeito aos direitos das minorias.

Para mais informações, acompanhe os sites locais e mantenha-se atualizado sobre o andamento das investigações.