“Quebra cabeça” Facções, Mortes em série em Ji-Paraná

banner tim pizza
banner pax nacional

A Polícia Civil de Ouro Preto do Oeste identificou Edivan Fialho da Silva, vulgo “Acreano”, 32 anos, como o principal suspeito do assassinato de Ligiane Rodrigues da Silva, 34, a execução à bala foi registrada na noite de 1º de junho no Jardim Novo Estado, Rua Guaporé.
A mulher foi surpreendida pelo criminoso dentro de casa que entrou atirando; ela correu para a rua e ele a perseguiu e a executou com vários tiros e fugiu em uma moto Honda Bros que dava cobertura. Ligiane se mudou para Ouro Preto do Oeste, certamente porque estava jurada de morte em Ji-Paraná.
Segundo a investigação da Polícia Civil, Edivan Acreano teria matado Ligiane Rodrigues e também assassinado em Ji-Paraná na noite de 25 de junho, o pedreiro Gilson Almeida, que foi atraído para o Residencial Gree Park com a promessa de pegar um serviço e foi executado com um tiro na cabeça.
O motivo de tanto ódio em Edivan acreano para matar dois, em um período de quatro dias, teria sido por vingança, pelo fato de Ligiane e o pedreiro Gilson Almeida, que seriam do PCC, terem supostamente assassinado na noite de 29 de maio em Ji-Paraná Maria de Fátima Oliveira, que era mulher de Edivan, e pertencia a facção do Comando Vermelho, assim como seu amasio.
Maria de Fátima foi assassinada em um bar seu localizado no Bairro Novo Ji-Paraná, à Rua Rita Carneiro Rios por uma dupla que chegou ao local de motocicleta. Essa dupla, seria Ligiane e o pedreiro Gilson.
Segundo o investigador que trabalhou no caso, na noite do crime em Ouro Preto do Oeste Edivan estava de carona com um comparsa que pilotava uma motocicleta Honda Bros de cor preta.
“A moto usada na execução de Ligiane e de Gilson de Almeida foi apreendida pela Polícia Civil e, na verdade, é da cor laranja, e foi roubada em Ji-Paraná, porém os criminosos enveloparam o veículo de preto para dificultar a identicação”, revela o investigador.
A investigação feita pela Polícia Civil de Ouro Preto do Oeste, com apoio da Delegacia de Homicídios de Ji-Paraná, chegou até Edivan Fialho da Silva após descobrir que a ligação que atraiu o pedreiro Gilson de Almeida para ser morto partiu de um celular cadastrado com o CPF do suspeito.
O delegado Niki Alves Locatelli juntou o relatório da investigação policial e representou pela prisão de Edivan Fialho da Silva (acreano) ao juizado criminal da Comarca de Ouro Preto do Oeste.
Maria de Fátima seria do Comando Vermelho e foi morta por Gilson com a participação de Ligiane que pilotou a motocicleta.
A motocicleta utilizada na morte de Ligiane era roubada, teve a cor mudada, e foi apreendida pela Polícia Civil.
Para Edivan Acreano, Ligiane pilotou a moto que foi usada para matar sua mulher e ele a matou e também teria matado o pedreiro Gilson Almeida em Ji-Paraná.

Edição de fotos – Jean Lemos

Fonte: CorreioCentral.com.br – Edmilson Rodrigues

rotativo2