Brasileiros pedem ajuda a Marcos Rogério para sair da Bolívia

Senador rondoniense cobrou providências do Governo Federal sobre situação dos estudantes brasileiros na Bolívia

banner tim pizza
banner pax nacional

Logo depois das eleições presidenciais na Bolívia, que reelegeu Evo Morales, o país foi tomado por uma onda de protestos. As manifestações evoluíram para conflitos que resultaram em greve geral, desabastecimento de supermercados e farmácias e restrição da circulação nas ruas. Desde então, vários brasileiros que estudam e residem na Bolívia têm tentado deixar o país, porém sem sucesso.

Ciente da situação e preocupado com os estudantes brasileiros, que estão no país vizinho, o senador Marcos Rogério (DEM-RO) enviou nesta quinta-feira, 31 de outubro, um ofício ao ministro das Relações Exteriores, Ernesto Henrique Fraga Araújo, solicitando providências do governo federal para amparar esses brasileiros. “Tenho recebido muitas mensagens de pais e dos próprios estudantes pedindo ajuda para saírem da Bolívia. Eles afirmam que com o agravamento da crise político-social, têm sido alvo de ataques xenofóbicos e sofrido ameaças por se recusarem a participar das manifestações e protestos. Eles estão presos em casa, com limitação do direito de ir e vir. Precisamos ajuda-los a voltarem para casa”, destacou Marcos Rogério.

Além das mensagens que o senador Marcos Rogério tem recebido com pedidos de ajuda, também foram enviados ao gabinete do parlamentar uma lista com mais de 5 mil assinaturas de estudantes brasileiros que estão na Bolívia, endossando o pedido de ajuda. No documento, os estudantes também anexaram áudios que teriam recebido com ameaças de morte e de detonação de bombas.

“Nossos jovens saíram do Brasil para estudar, na esperança de construir um futuro melhor. Mas hoje se veem em meio a conflitos sociais no país vizinho, alguns deles com restrição de saírem de casa, e inclusive ameaças de morte. Dos vídeos que recebi, muitos mostram o caos nas ruas. Vamos trabalhar para trazer nossos filhos de volta”, concluiu o senador.

Fonte: Assessoria

rotativo2