Marcos Rogério trabalha por universidade na região Amazônica

Universidade deve ser instalada no município de Ji-Paraná

banner tim pizza
banner pax nacional

Apesar de reconhecer a Amazônia como maior bacia hidrográfica do planeta, com importantes reservas minerais e a maior biodiversidade mundial, o senador Marcos Rogério (DEM-RO) lamentou em Plenário, nesta segunda-feira (23), que a região ainda não se destaque como prioridade de um Plano Nacional de Desenvolvimento.

Segundo apontou o parlamentar, as pesquisas na região ainda são ínfimas; a região carece de investimentos e planejamento estratégico para a promoção do desenvolvimento local, faltam universidades e centros de pesquisas especializados.

“A única oportunidade em que a Amazônia é lembrada é quando a mídia nacional e internacional destaca os índices de desmatamento. Ou seja, nessas ocasiões, a Amazônia ocupa espaço e a preocupação da sociedade. Contudo, não há o mesmo interesse para debater a importância da educação, da ciência e tecnologia nos estados da Amazônia. Reconhecer a importância estratégica da região para o país é tão óbvia quanto a necessidade de um planejamento que fomente e incentive a educação, a ciência e a tecnologia”, ressaltou.

Segundo o parlamentar, as estruturas de ensino e pesquisa são insuficientes e as existentes não possuem condições de ofertarem aos jovens a mesma qualidade de educação superior ofertadas em outras regiões do país. “Como consequência, há uma baixa condição local de internalização dos processos produtivos e de inovação, pois os investimentos estão desconectados e distantes das pessoas”, disse.

Como forma de reverter esse quadro, o senador propôs ao governo federal a criação da Universidade Federal Rural da Amazônia Ocidental. Na última quinta-feira (19/09), o parlamentar se reuniu com o ministro da Educação, Abraham Weintraub, em busca de apoio para a implementação do projeto.

“É fundamental que os governos estaduais, com o apoio do governo federal, intensifiquem os investimentos em pesquisa, ciência e tecnologia para o desenvolvimento sustentável dos estados da região amazônica. Confio que essa Universidade irá proporcionar o incentivo adequado para fomentar a educação e ciência e tecnologia com um olhar dedicado à Amazônia e permitindo que a pesquisa seja feita efetivamente por quem mora na região amazônica”, salientou.

Segundo a proposta apresentada por Marcos Rogério, a universidade deve ser instalada em Ji-Paraná, Rondônia. O ministro da Educação Abraham Weintraub acolheu a ideia apresentada pelo parlamentar e informou dará encaminhamento ao envio de uma proposta legislativa.

Fonte: Assesoria

 

rotativo2