Sucessão em Ji-Paraná promete ser uma das mais concorridas do Estado

banner tim pizza
banner pax nacional

As eleições municipais na “Capital do Café” está fazendo ferver os bastidores da política da cidade. Isto porque há muitos nomes cotados para concorrer, agregando personagens tradicionais do meio, outros que estão iniciando carreira na política e alguns que nunca exerceram mandato.

A rigor existem hoje cerca de 15 pré-candidatos articulando alianças e buscando espaço no cenário.

A lista começa com o veterano José Bianco (DEM), que entre muitos cargos que já exerceu está a própria chefia do Executivo local. É liderança tradicional que não pode ser menosprezada, apesar de estar afastado da vida pública há algum tempo. No entanto, o partido apresenta alternativa de renovação, com o atual presidente da Câmara Municipal, Affonso Cândido (DEM), que tem apoio direto do senador e presidente do partido no Estado, Marcos Rogério.

O PDT tem duas alternativas neste momento: pode apostar na permanência do atual prefeito Marcito Pinto ou optar pelo ex-deputado Airton Gurgacz. Ambos são políticos de projeção, e qualquer um deles que seja o escolhido pode ser considerado entre os favoritos.

Também está no páreo a esposa do ex-prefeito Jesualdo Pires, Lilian Pires, filiada ao PSB. Conta com o prestígio do esposo e pode se sair bem em eventual participação na disputa. O mesmo grupo tem como alternativa Ari Saraiva, que somou quase 8 mil votos a deputado estadual em 2018 e foi secretário na administração de Jesualdo.

O ex-vereador Isaú Fonseca, atualmente sem partido, é outro que pretende concorrer a prefeito em Ji-Paraná. Segundo informações estará apto a concorrer no próximo ano.

O PP apresenta três nomes nesta fase de pré-campanha: o radialista Licomédio Pereira, polêmico, mas de enorme popularidade. O outro nome é o Carlos Magno, ex-deputado federal, que já passou pela Ale e Prefeitura de Ouro Preto do Oeste. É importante destacar que Magno foi um dos secretários mais atuantes do ex-prefeito Jesualdo Pires e agora, tem domicílio eleitoral em Ji-Paraná. Já o médico João Durval tem manifestado seu desejo de disputar a prefeitura, mais uma vez, pois há muito tempo acalenta o sonho de administrar Ji-Paraná.

O PSDB pode entrar forte na sucessão, caso o atual presidente da Assembleia Legislativa, Laerte Gomes, resolva enfrentar a disputa. Sem dúvida ele entraria com força na peleja, e certamente figuraria entre os favoritos. A própria ALE tem outra alternativa: o deputado Jhony Paixão (PRB), que vem se destacando entre os novos políticos do Estado.

Finalizando a lista um veterano e um novato e extremos opostos da política: o PT, mesmo combalido com os acontecimentos dos últimos anos e a perda de espaço no panorama estadual pode lançar o ex-deputado Anselmo de Jesus; enquanto o PSL do presidente Jair Bolsonaro tem como opção o médico Silmar Régis, que concorreu a deputado federal no ano passado.

Até o momento 14 pré-candidatos estão dispostos a disputar o Palácio Urupá em Jí-Parana/Fotos: ReproduçãoFonte: extraderondonia

rotativo2